HOME    -    INSTITUCIONAL   -    PROCEDIMENTOS    -    NOTÍCIAS    -    PACIENTES E FAMILIARES    -    CONTATO

  PACIENTES E FAMILIARES | Informações importantes para pacientes e familiares
     
 
    DIREITOS E DEVERES DOS PACIENTES

Toda pessoa com câncer tem direitos especiais previstos na legislação brasileira que favorecem uma melhor qualidade de vida do paciente durante o enfrentamento da doença. A Cartilha de Direitos do Paciente com Câncer garante desde o acesso gratuito a medicamentos e auxílio-doença até o saque do fundo de garantia.

Direitos
Receber atendimento digno, humanizado, atencioso, respeitoso e sem qualquer forma de discriminação, além de auxílio adequado e oportuno às suas necessidades.

Ser identificado pelo seu nome completo e correto.

Ter seus valores e crenças respeitados dentro dos preceitos legais.

Receber ou recusar assistência moral, psicológica, social ou religiosa.

Ter sua privacidade, individualidade e segurança asseguradas em qualquer momento do atendimento, bem como proteção específica em casos de vulnerabilidade.

Ter acessibilidade a todos os ambientes destinados ao paciente, nos casos de deficiência física.

Saber o nome, a categoria profissional e o cargo de quem está prestando a assistência.

Poder identificar os profissionais da instituição por meio de uniformes e/ou crachás legíveis.

Ter assegurada a preservação de sua imagem e identidade, além da confidencialidade de suas informações.

Receber informações claras, objetivas e compreensíveis a respeito do seu diagnóstico e tratamento.
Receber do médico de sua escolha e dos demais membros da equipe multiprofissional, em qualquer fase de tratamento, informações verbais e, quando requisitados, relatórios explicativos por escrito sobre o seu diagnóstico e tratamento.

Ter seu prontuário elaborado de forma legível, contendo o conjunto de documentos padronizados com informações a respeito de seu histórico médico, início e evolução de sua doença, exames complementares, condutas terapêuticas, descrição dos procedimentos realizados e demais relatórios e anotações pertinentes.

Restringir o acesso ao seu prontuário e às informações sobre seu tratamento, ressalvados os casos de informações compartilhadas com os profissionais a cargo de sua assistência, com as operadoras de planos e seguros de saúde e os acessos necessários para monitoramento e auditoria de qualidade dos atendimentos.

Solicitar cópia de seu prontuário a qualquer momento, de acordo com a legislação vigente.
Formalmente autorizar um representante ou familiar a ter acesso às informações de seu tratamento.
Alterar, a qualquer momento de seu tratamento, quaisquer informações que tenham sido anteriormente relatadas.

Solicitar esclarecimentos sobre documentos e formulários que lhe sejam apresentados para assinar, de forma a permitir sua compreensão e entendimento para uma opção consciente.
Buscar segunda opinião em relação a seu diagnóstico ou tratamento e, se desejar, substituir o médico responsável pelo seu atendimento.

Ser informado, orientado e, se necessário, treinado sobre como conduzir seu autocuidado na continuidade do tratamento em domicílio.
Consentir ou recusar, de forma livre, voluntária e esclarecida, após ter recebido adequada informação sobre procedimentos, diagnósticos, planos terapêuticos e avaliações clínicas realizadas.

Receber o adequado tratamento para minimizar a dor, de acordo com as possibilidades terapêuticas
disponíveis.

Receber, quando solicitada, toda e qualquer informação sobre os medicamentos que lhe serão administrados, sua origem e prazo de validade.

Estar acompanhado, se assim o desejar, durante o tratamento, por pessoa por ele indicada, assim como indicar formalmente um familiar ou responsável para decidir em seu nome acerca do seu tratamento, caso esteja impossibilitado de fazê-lo.

Exigir que a instituição cumpra todas as normas de prevenção e controle de infecção.

Expressar suas preocupações e queixas para a instituição, através dos meios de comunicação disponíveis, e receber as informações e esclarecimentos pertinentes.

Ter acesso às contas detalhadas referentes às despesas de seu tratamento, exames, medicações e outros procedimentos médicos.

Conhecer a procedência do sangue e de hemoderivados, antes de recebê-los, podendo verificar sua origem, seu prazo de validade e as sorologias realizadas, tendo tais informações anotadas em seu prontuário para posterior consulta.

Receber receitas com letra legível.

Quando recomendado o encaminhamento a outra unidade de saúde, o paciente tem direito a receber relatório médico com o resumo da sua condição de saúde, possíveis diagnósticos, tratamentos realizados e breve histórico clínico.

Ter acesso a indivíduos competentes para interpretação de seu idioma quando este for diferente do predominante na instituição.

Sobre Direitos Legais, acesse o link: www.sboc.org.br

Deveres
Respeitar o direito dos demais pacientes, empregados e prestadores de serviço, que deverão ser tratados com cortesia, utilizando-se dos canais de comunicação disponíveis para exercer seu direito de realizar reclamações.

Zelar e responsabilizar-se pelo patrimônio da instituição colocado a sua disposição.

Respeitar a proibição ao consumo de fumo, derivados do tabaco e bebidas alcoólicas nas dependências da instituição, proibição esta extensiva aos acompanhantes.

Responsabilizar-se pelos seus objetos de valor trazidos para a instituição.

Disponibilizar informações completas sobre seu histórico de saúde, procedimentos cirúrgicos realizados, problemas de saúde vivenciados, utilização de medicamentos ou quaisquer outras substâncias.

Obter total conhecimento a respeito do seu tratamento ou designar familiar ou responsável para receber todas as informações.

Expressar se entendeu as informações recebidas e fazer perguntas em caso de dúvidas.

Seguir as recomendações do médico e de toda a equipe multidisciplinar que lhe assiste, respondendo pelas consequências de sua não observância.

Responsabilizar-se quando da recusa de tratamento.

Comunicar à clínica caso haja alguma impossibilidade de comparecer na data agendada para realização de consultas, retornos e procedimentos.

Honrar seu compromisso financeiro com a instituição, saldando ou fazendo saldar as despesas incorridas.

Efetuar o pagamento dos procedimentos não custeados pelas Operadoras de Planos Privados à Saúde, independentemente do motivo, ou sem cobertura contratual.

Indicar o responsável financeiro por seu atendimento, ressalvados os casos de urgência e emergência.
Pacientes beneficiários de planos privados de assistência à saúde devem notificar a instituição e o seu médico titular sobre quaisquer mudanças na cobertura do seu plano de saúde, assim como outras restrições que possam prejudicar a continuidade do tratamento.
 
    SOBRE O CÂNCER

O que é o câncer?
Câncer é o nome dado a um grupo de diversas doenças em que há a multiplicação desordenada de células no organismo. Essas células invadem tecidos e órgãos de forma agressiva, lesionando-os e criando os tumores malignos, também conhecidos como neoplasias malignas. Quando o câncer se espalha para outras partes do corpo, além do seu ponto de origem, chamamos de metástase.

Existem ainda os tumores benignos, quando há o crescimento anormal de células, mas de forma lenta e não invasiva, que raramente representa risco de vida ao paciente.

O que causa o câncer ?
O câncer pode ser causado por uma variedade de fatores relacionados entre si, sejam eles internos ou externos ao organismo. As causas mais comuns estão ligadas ao meio ambiente e aos hábitos do paciente, como: fumar, ingerir bebidas alcoólicas e se expor excessivamente ao sol sem proteção. A ocupação profissional também pode influenciar; quando há, por exemplo, o contato com produtos químicos em uma indústria. A exposição à fumaça expelida pelos automóveis e até o fumo passivo podem contribuir para o desenvolvimento da doença.

O envelhecimento também torna o organismo mais suscetível à enfermidade, porque há alterações das células ao longo dos anos, tornando-as predispostas a mutações malignas. Além disso, o corpo fica submetido a diferentes fatores de risco por mais tempo. Com o envelhecimento da população em geral, o que significa uma maior expectativa de vida ao longo dos anos, o diagnóstico de câncer tem se tornado cada vez mais comum.

Já as alterações genéticas hereditárias são as razões mais raras, embora existam alguns tipos de câncer que têm forte ligação com o histórico familiar, como o câncer de mama. Alguns grupos étnicos podem ter maior propensão a algum tipo da doença, como no caso do câncer de próstata, mais frequente em homens negros. Trata-se mais de uma probabilidade do que uma causa.

Tipos de câncer
O câncer é classificado pelo grau de agressividade e de acordo com o grupo de células afetadas do corpo:

Carcinoma: tecidos da pele ou mucosa. É o mais comum nos seres humanos.

Sarcoma: tecidos conjuntivos, aqueles entre a pele e os órgãos internos, como os dos músculos, ossos, gorduras e tendões. É mais raro. Geralmente, a cirurgia é a principal terapia para este tipo de câncer.

Mas é possível que o tratamento exija complementação com radioterapia e/ou quimioterapia antes ou depois da cirurgia.

Leucemia: se inicia na medula óssea e afeta os glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do organismo.

Linfoma e mieloma: acomete o sistema linfático, que é a rede distribuída por todo o corpo e responsável pela defesa do organismo; e as células plasmáticas, que geram anticorpos.

Tumores do sistema nervoso central: atingem o cérebro e as células que dão suporte aos nervos.
Conheça os tipos de Câncer (depois vamos colocar de cada tipo)

Fatores de risco
- Tabagismo
- Hábitos sexuais não seguros
- Má alimentação
- Ingestão de bebidas alcoólicas
- Exposição solar
- Uso de medicação
- Obesidade
- Ocupação profissional
- Exposição à radiação
- Sedentarismo

É importante lembrar que a presença de um ou mais desses fatores de risco não determina a certeza do desenvolvimento da doença.

Diagnóstico e prevenção do câncer
Segundo o Inca – Instituto Nacional de Câncer, 70% dos diagnósticos de câncer são feitos por médicos não oncologistas, como dermatologistas. Trata-se de uma doença com aspectos múltiplos e pode ser detectada em diferentes estágios por meio de exames laboratoriais, de ultrassom e tomografia. Sua confirmação demanda análise criteriosa e, normalmente, requer exame microscópico de tecidos. Como pode acometer diferentes partes do organismo, os sintomas são variados. Em geral, o paciente procura o médico porque sente uma dor persistente, o crescimento anormal de uma parte do corpo, ou sangramento na urina e fezes.

Para prevenir a patologia, é importante adotar um hábito de vida saudável: se alimentar bem, praticar atividades físicas regulares, não fumar e não ingerir bebidas alcoólicas. É fundamental identificar e tratar doenças pré-malignas, como lesões pelo vírus HPV – papilomavírus humano, para que não se transformem em tumores. Além disso, manter distância de substâncias causadoras de câncer. Homens e mulheres devem ainda fazer exames preventivos periódicos, que são indicados pelo médico de acordo com a faixa etária, fatores de risco e histórico familiar de câncer.

Tratamentos
O paciente pode se tratar utilizando um ou mais destes métodos combinados:

- Quimioterapia
- Radioterapia
- Hormonioterapia
- Drogas de alvo molecular
- Imunoterapia
- Cirurgia

As terapias complementares, como acupuntura, shiatsu, reiki, musicoterapia, cromoterapia e outras, também podem ser empregadas para apoiar o tratamento médico, mas nunca substituí-lo. São indicadas para ajudar no enfrentamento da doença, atenuar alguns efeitos colaterais e melhorar a sua qualidade de vida.
 
    CORPO CLÍNICO

Oncologia
A oncologia, também conhecida como cancerologia clínica, é a área da medicina que estuda e trata os tumores malignos. Embora existam muitos tipos de câncer, todos eles começam devido ao crescimento anormal e fora de controle das células, o que é conhecido como neoplasia. A oncologia aborda a forma como cada câncer se desenvolve no organismo e o tipo de tratamento mais adequado para cada um deles.

O oncologista é o médico especializado a quem cabe diagnosticar e acompanhar o paciente e sua família, durante e após o tratamento oncológico, procurando sempre a melhor terapêutica com o máximo de qualidade de vida.

No Centro Oncológico Itabira o médico Oncologista atua em conjunto e integrado a equipes oferecendo a melhor assistência ao paciente.

A partir do envolvimento e do compartilhamento das ações integradas dessas equipes, buscamos uma assistência individualizada e segura, respeitando as necessidades e a história de vida de cada paciente, para quem serão indicados os tratamentos mais adequados entre cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia, terapia biológica e outras inúmeras possibilidades.

Independentemente da escolha do melhor tratamento, o fato é que uma grande mudança ocorreu nos últimos 20 anos: a melhoria na qualidade de vida dos portadores de câncer. Mesmo quando a doença não está mais localizada, o paciente pode passar períodos muito longos com a doença controlada, recebendo remédios de baixa toxicidade e preservando seu estilo e qualidade de vida.



Dr Marcos Miranda

Hematologia

A hematologia é uma especialidade médica que investiga, avalia e trata as doenças do sangue e da medula óssea. Diferentemente da medula espinhal, a medula óssea é um tecido encontrado no interior dos ossos, responsável pela produção de três linhagens de células que fazem parte do sangue e do sistema imunológico: as hemácias (ou glóbulos vermelhos), que levam oxigênio para os tecidos; os leucócitos (ou glóbulos brancos), que fazem a defesa do organismo contra agentes infecciosos; e as plaquetas, que atuam na coagulação do sangue.

Os hematologistas são os médicos que lidam com as doenças relacionadas a esses elementos e aos órgãos onde eles são produzidos. Essas doenças podem ser malignas, como leucemias, mielomas múltiplos, mielodisplasias, linfomas e outras, ou benignas, como anemias, doenças relacionadas às plaquetas, aplasia de medula, distúrbios da coagulação, entre outras. Os hematologistas também são responsáveis pela indicação e realização dos transplantes de medula óssea.


Dra Marielle T Pinho Coelho

Enfermagem -
A enfermagem é peça-chave e determinante no tratamento oncológico. Cuidar, em enfermagem, significa conviver e conhecer profundamente a história de vida de cada paciente, dominar as características, sinais e sintomas das doenças, os tipos de tratamentos e seus efeitos colaterais, planejar e realizar intervenções para as melhores respostas e avaliar os resultados obtidos.

A equipe de enfermagem do Centro Oncológico Itabira é formada por profissionais altamente qualificados, que trabalham junto a equipes, oferecendo um atendimento amplo, individualizado e assertivo.

Nossos enfermeiros trabalham de maneira próxima e acolhedora, oferecendo um cuidado integral ao paciente, antes, durante e após o tratamento. Com a assistência de enfermagem, cada paciente oncológico é motivado a compreender e a colaborar com a terapia proposta e a vivenciar as etapas de reabilitação e retorno à sua rotina. Uma assistência que se estende aos familiares, que recebem todo tipo de orientação e informações pertinentes e necessárias para que os resultados sejam os melhores possíveis.

Nossos colaboradores do setor de enfermagem recebem atualização profissional e participam ativamente da Comissão de Controle de Infecção.
 
    FARMÁCIA

A Farmácia Oncológica ampliou sua área de atuação no universo da Oncologia, agregando qualidade na farmacoterapia e em toda a cadeia de assistência ao paciente.



Existem processos extremamente rígidos no gerenciamento dos medicamentos que entram em nossas clínicas, que vão desde a avaliação dos fornecedores até a pós-aplicação dos medicamentos em nossos pacientes.

A manipulação dos medicamentos antineoplásicos é realizada em ambientes controlados, segundo as normas nacionais e padrões internacionais de qualidade.

Nessa etapa, nossos farmacêuticos especializados em oncologia e toda a equipe de farmácia são fundamentais no controle de qualidade do produto manipulado.

O processo se inicia com a checagem da prescrição médica, avaliação e intervenção farmacêutica, escolha correta do medicamento a ser preparado, bem como do diluente e do material corretos.

Todos os produtos passam por um rigoroso processo de higienização asséptica. Somente, então, são manipulados pelos farmacêuticos, em equipamentos específicos de controle ambiental que garantem a esterilidade e as características originais dos medicamentos.

Dessa forma, as manipulações são realizadas somente no dia da aplicação, de modo que a eficácia e a segurança do medicamento sejam mantidas.

Todos esses processos são fundamentais para que o medicamento certo chegue para o paciente certo e com todo o padrão de qualidade, garantindo segurança no atendimento ao paciente.